sexta-feira, 7 de maio de 2010

Corporeidade


Educador:Natanael Steffen
CREF3 008348
IT.6614/10

A compreensão da corporeidade e sua definição se dão pela observação das imagens do corpo no desenvolvimento do individuo, elas que determinam a imagem corporal.Para Moreira (1995, p.30), a corporeidade é, existe, e através da cultura ela possui significado. Daí a constatação de que a relação corpo-educação, por meio da aprendizagem, significa aprendizagem da cultura - dando ênfase aos sentidos dos acontecimentos, e aprendizagem da história – enfatizando a relevância das ações humanas. Corpo que se educa é corpo humano que aprende a fazer história fazendo cultura.
Freire (1991, p.40), afirma que toda a produção humana toma vida e se manifesta na motricidade, que foi se tornando fina e complexa, realizando as intenções humanas. Porque o homem talvez seja o único ser que vive para realizar suas intenções, e é o único que tem intenções.
Os limites corporais do homem foram largamente superados pelas extensões corporais criadas pela cultura humana. A cultura humana é de certa forma, a extensão cada vez mais ampla do corpo humano.
Vargas (1998, p.36), faz um contraponto dizendo que, “Nos dias atuais considera-se o ser humano um todo indivisível, uma unidade orgânica, isto é, um sistema essencial às múltiplas possibilidades da mente, do espírito e do corpo”.Constatamos que o homem não se compreende como um corpo, mas sim como possuidor de corpo, herança bem documentada desde Platão, confirmada pelos medievais e modernos e assumidas com todas as suas conseqüências pela cientificidade e tecnologia contemporânea. Na medida que nós vivemos a corporeidade ou nos sentimos corpo nos tornamos significativos a nós mesmos e aos outros.Através da exploração do meio, o homem desenvolve seus comportamentos motores para a sobrevivência da espécie. O homem dispõe de um corpo para agir e para expressar-se, em presença das situações a que deve ajustar-se e não apenas reagir, devendo manter um equilíbrio do organismo com o meio.Definimos portanto Corporeidade SER-ESTAR no MUNDO ou seja o SER EXISTÊNCIAL-PRESENÇA.

Texto: Monografia de Graduação, Natanael Steffen - 2005
Foto: Esta foto é de Miriam Steffen - 2005

Nenhum comentário:

Postar um comentário