terça-feira, 8 de junho de 2010

Beijos sim, vaias não

Educador: Natanael Steffen
CREF3 008348
IT.6614/10

Em um evento olímpico especial alguns anos atrás. Nove crianças com problemas físicos e mentais, competindo entre si na corrida de cem metros.
Bastante ansiosos, os corredores se alinharam e esperaram pelo tiro de partida. Estavam sorrindo e cheios de energia, querendo ganhar, mas assustados só de estar competindo.
Foi dada a largada, e as nove crianças correram pelas raias o mais rápido que podiam. De repente, um dos meninos tropeçou e caiu rolando pelo chão. Um suspiro correu por toda a arquibancada. Então,sem qualquer aviso, uma menina portadora de síndrome de Down parou, deu a volta e foi até o menino que havia caído. Ela se ajoelhou a seu lado e disse:
- Olhe, isso vai fazer você se sentir melhor – e beijou o menino na face.
Um a um os corredores especiais pararam e foram ao lugar onde estava o menino estirado no chão. Eles se agacharam e ajudaram o menino a se levantar. Então, dando os braços uns aos outros, todas aquelas nove crianças maravilhosas começaram a caminhar em direção à linha de chegada. Todos cruzaram a linha ao mesmo tempo, o que fez com que todos fossem vencedores.
Lagrimas correram pelas faces dos espectadores, que ficaram em pé e aplaudiram a graça demonstrada no momento menos esperado.
Em nossa vida cotidiana, todos nós lutamos, tropeçando em nosso caminho em direção à linha de chegada. Precisamos uns dos outros. Precisamos de abraços estendidos e de beijos, não de dedos no nariz ou de vaias. Este é verdadeiramente o Único caminho para a vitória.
Felton,Jack & Stephen Arterburn. - Mais Jesus Menos Religião.
(foto: treinamento de hagby, equipe de Brusque-sc 2009.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário