quinta-feira, 17 de junho de 2010

Trânsito - O Jogo do SER-EXISTIR.

Educador:Natanael Steffen
CREF3 008348
IT.6614/10
O homem, ao produzir os meios para a satisfação de suas necessidades básicas de existência, ao produzir uma realidade humanizada pela sua atividade, humaniza a si próprio, na medida em que a transformação objetiva requer dele uma transformação subjetiva. Cria, portanto, uma realidade humanizada tanto objetiva quanto subjetivamente. Ao se apropriar da natureza, transformando-a para satisfazer suas necessidade, objetiva-se nessa transformação.
Percebemos que este homem em sua extensão automotiva não se compreende como um corpo, mas sim como possuidor de corpo, herança bem documentada desde Platão, confirmada pelos medievais e modernos e assumidas com todas as suas conseqüências pela cientificidade e tecnologia contemporânea. Esta transformação muitas vezes torna-se “maquina de matar” o homem deixa sua existência considerando-se dono do movimento/velocidade transgredindo as regras e leis de trânsito como se fosse um “imortal”, não compreendendo que regras é construção de pontes para o aprendizado e troca de saberes do ser-existir.
Neste jogo do ser-existir as regras são necessárias “o jogo só acontece quando há regras” o resultado é quando se perde onde todos ganham, só será possível na medida em que nós vivemos a corporeidade ou nos sentimos corpo nos tornamos significativos a nós mesmos e aos outros.
O Jogo do ser-existir onde a arena é a via, rua, avenida e rodovia o confronto do desconhecido x diferente, a torcida fica por conta da segurança pública, bombeiros e curiosos; o sangue derramado desaparece nos bueiros e logradouros os resultados são anotados nos prontuário médico/policias, na mídia aparece nas paginas dos mutilados.
O Jogo da vida será campeão quando tornarmos significativos por intermédio do corpo, reconhece e percebe o outro, a alteridade; assim constrói sua subjetividade, estabelece relações.

Texto: Natanael Steffen
Foto: BR 470  Abril-2009

Um comentário:

  1. Na questão existência x trânsito, é possível visualizar com grande facilidade o terror do egoísmo, que por sua vez aniquila o medo causando assim tantas atrocidades. Vivemos hoje em um mundo cada vez mais egocêntrico, onde cada um busca sua própria satisfação sem se importar com o outro ser semelhante.
    Neste jogo do ser-existir as regras são necessárias “o jogo só acontece quando há regras” o resultado é quando se perde onde todos ganham.

    ResponderExcluir