sexta-feira, 8 de novembro de 2013



Felicidade e Alegria

       Apesar de muitas vezes apresentarem significados semelhantes, é bom e saudável compreender as diferenças entre os termos felicidade e alegria. No dicionário Aurélio estes termos possuem muitos sigificados, sendo que alguns deles se sobrepõe um ao outro. Isso ocorre devido a absorção do uso popular (incorreto) dos termos. Todavia, mesmo sofrendo esta parcial perda de sentido, ou melhor, obtendo prejuízo na precisão de seu significado, conseguimos perceber, mesmo no dicionário, que estas palavras têm origem e sentidos diferentes. A felicidade apresenta-se mais relacionada à termos como “afortunado”, “ventura (sorte, acaso)”, “satifação” (externa). Já a alegria está relacionada com “contentamento” e “satisfação” (interna).
Biblicamente esta perspectiva fica ainda mais clara, relacionando a felicidade com os prazeres momentâneos e ocasionais, e a alegria com aspectos mais internos e eternos.
É comum ouvirmos pessoas declarando: “O importante nesta vida é ser feliz”. Muitas vezes o crente, por falta de conhecimento, incorre igualmente neste erro. Contudo, como veremos neste estudo, é extremamente importante para nossa caminhada na fé (para irmos mais alto) diferenciarmos estes dois termos corretamente.
A felicidade, por ser relacionada às questões externas e momentâneas, pode ser facilmente atacada pelo diabo. Deus não nos prometeu felicidade, mas alegria. Sendo assim, a felicidade pode ser abalada e até mesmo destruída. Na verdade isso é até mesmo esperado. Quando entramos na olaria do Senhor, na fornalha, no fogo que depura nossa fé, normalmente nossa felicidade é extinguida.
Já a alegria, por ser interna e eterna, não pode (ou não deveria) ser atrapalhada. Deste modo, é possível e natural que venhamos viver lutas que firam nossa felicidade, mas a nossa alegria não poderá ser abalada.Porque o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo.” (Romanos 14:17) RA
Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz…” (Gálatas 5:22). A nossa felicidade (que é manifestada na carne) pode sofrer ataques e até mesmo ser aniquilada. Mas a nossa alegria deve ser permanente. Paulo disse:Digo isto, não por causa da pobreza, porque aprendi a viver contente em toda e qualquer situação.” (Filipenses 4:11) RA
Estar contente, segundo o dicionário, é estar alegre. Vemos, portanto, que podemos permanecer alegres independentemente da situação. Por outro lado, a nossa felicidade pode facilmente ser abalada, quer seja por doenças, perdas humanas, falta de dinheiro, insegurança, etc.
A promessa de Deus é que podemos viver constantemente alegres, em quaisquer circunstâncias, pois o Reino de Deus já é chegado entre nós (Mt12:28; )… e o Reino é alegria (Rm14:17). A bíblia também diz que o Reino de Deus (que é alegria) está dentro de nós (Lc17:21). Deus jamais prejudicaria Seu próprio Reino que Ele mesmo colocou dentro de nós. É o diabo que, desde o início, é chamado de “o ladrão da alegria”.
Jesus disse que neste mundo teríamos aflições, perseguições, etc. Estas coisas são ruins para nossa carne e desmazelam nossa felicidade. Contudo, podemos estar contentes (alegres e satisfeitos!) em toda e qualquer situação, pois a alegria é algo do coração, fruto do Espírito Santo, e não pode ser roubada.
Agora entendemos porque esta diferenciação entre os termos é importante para nossa vida espiritual. Sabemos que tanto Deus quanto o diabo podem causar danos à nossa felicidade. Mas Deus jamais atacaria nossa alegria. Portanto, sempre que estivermos sofrendo devemos nos perguntar: “Este é um sofrimento na carne que ataca minha felicidade ou é interno que ataca minha alegria?”
Se for interno, atacando a alegria, podemos repreender no nome de Jesus. Pela fé, na autoridade do nome de Jesus, desfazemos o mal e acabamos com este sofrimento, pois com certeza absoluta não provém de Deus.
Contudo, se o sofrimento for externo, atacando a felicidade, devemos buscar compreender se é de Deus ou não, pois muitas lutas são vindas de Deus. Isso não impede que oremos por livramento, mas precisamos entender que muitas vezes o fogo que surge no meio de nós para nos provar vem de Deus… e é importante para o nosso crescimento e aprimoramento. Nestes casos, a melhor oração que podemos fazer é para sermos aprovados na batalha e não para sermos afastados dela.
Pode ser também que um sofrimento na carne (que prejudique nossa felicidade) seja obra do diabo, sem maiores propósitos de Deus, ainda que, por fim, tudo contribua para o bem daqueles que O amam. Sendo assim, com este discernimento, podemos simplesmente repeender no nome de Jesus e obter a vitória.
Muitas pessoas, ao sofrerem na carne e perderem a felicidade, acabam se afastando de Deus, ficando magoadas com Ele e muitas vezes perdem completamente a vontade de viver. Percebi que frequentemente isso ocorre pelo fato da pessoa não ter diferenciado a felicidade da alegria, assim como de não entender que neste mundo teremos prejuízos frequentes à nossa felicidade, e por não entender que podemos continuar alegres mesmo frente a aniquilação da felicidade. Veja: não há problema em perder a felicidade. Se vivêssemos para nossa felicidade, ela se tornaria um ídolo. Seríamos nosso próprio deus, e Ele, o Deus verdadeiro, estaria pecando sempre que atingisse nossa felicidade. Contudo, sabemos que Deus usa do sofrimento humano para nos ensinar coisas mais elevadas e nos aperfeiçoar.
Não há problema algum em nos tornarmos infelizes. Nossa felicidade não é o maior alvo da nossa vida. Nosso alvo é a alegria do Senhor! Alegria Dele!
A alegria vinda de Deus é algo que nos torna livres, pois, com ela, nada poderá nos tirar a paz, a satisfação e o contentamento. Quando nos atemos à felicidade, ficamos instáveis, desanimamos e até morremos, pois ela é fragil e volátil. Mas quando nos atemos à alegria, nos tornamos fortes, pois nada e nem ninguém poderá afetá-la (a não ser que deixemos).
A alegria segundo o Senhor é fonte de vida e vitalidade espiritual!
“… porque a alegria do SENHOR é a vossa força.” (Neemias 8:10) RA
O contrário de felicidade é infelicidade. O contrário de alegria é tristeza. Este verso de Neemias diz:
“…portanto, não vos entristeçais, porque a alegria do SENHOR é a vossa força.” (Neemias 8:10)
É possível estar completamente feliz, mas triste. Assim como é possível estar completamente alegre, mas infeliz.
Mais alegria me puseste no coração do que a alegria deles, quando lhes há fartura de cereal e de vinho.’ (Salmos 4:7) RA
A alegria do Senhor no nosso coração independe das circunstâncias. Além do mais, devemos lembrar que nossa alegria é a alegria do Senhor. Se alegrarmos o coração do Senhor, nosso coração ficará alegre. É um engano achar que a “nossa alegria” nos fará alegres ou felizes. A alegria do Senhor é a nossa alegria.
Quero concluir dizendo que Deus não é contra nossa felicidade. Ele quer que sejamos felizes, mas está disposto a sacríficar nossa felicidade para que possamos crescer e ficar cada dia mais parecidos com Jesus. Por isso, quando o Senhor nos corrigir, e nossa felicidade falhar, não deixemos que isso afete nossa alegria.
e estais esquecidos da exortação que, como a filhos, discorre convosco: Filho meu, não menosprezes a correção que vem do Senhor, nem desmaies quando por ele és reprovado;” (Hebreus 12:5) RA
Toda disciplina, com efeito, no momento não parece ser motivo de alegria, mas de tristeza; ao depois, entretanto, produz fruto pacífico aos que têm sido por ela exercitados, fruto de justiça.” (Hebreus 12:11) RA
Tu me farás ver os caminhos da vida; na tua presença há plenitude de alegria, na tua destra, delícias perpetuamente.” (Salmos 16:11) RA
Todos os dias do aflito são maus, mas a alegria do coração é banquete contínuo.” (Provérbios 15:15). Com efeito, vos tornastes imitadores nossos e do Senhor, tendo recebido a palavra, posto que em meio de muita tribulação, com alegria do Espírito Santo” (1 Ts 1:6) RA
Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações” (Tiago 1:2)
 Fonte: www.maisalto.com.br/?p=76

Nenhum comentário:

Postar um comentário